Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Mesmo com alta do álcool, preço dos alimentos segurou inflação

Apesar do aumento gradativo no preço do álcool ser um fator que causou impacto no Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) até o dia 22 de janeiro, a queda no preço dos alimentos - que estavam em 1,36% e passaram para 1,13% - conseguiu segurar a inflação.Segundo o economista da Fundação Getúlio Vargas (FGV), André Braz, os preços dos alimentos subiram menos graças à elevação mais fraca das hortaliças e legumes (de 4,90% para 2,33%). "Foi esse segmento, cuja elevação foi reduzida praticamente pela metade, que levou à essa desaceleração", disse.Porém, o economista comentou que, além de hortaliças, outros produtos de peso na formação da inflação do varejo também registraram desaceleração e até deflação mais forte de preços. É o caso de carnes bovinas (de -1,17% para -1,76%); aves e ovos (-0,71% para -1,16%) e arroz e feijão (de 4,08% para 3,69%). Braz prevê que o preço dos alimentos continue a cair. Alta do álcool é atípica para épocaA demanda maior que a oferta continua puxando os preços do álcool. Na comparação com a última semana, o preço do álcool combustível acelerou de 9,19% para 9,97% - o que fez com o setor de combustíveis e lubrificantes passasse de 2,20% para 2,41%. A gasolina, que tem 25% de álcool em sua formação, também registrou aceleração de preços (de 1,46% para 1,60%). "O preço do álcool já está subindo há quase um mês", observou Braz, considerando que, até o momento, a elevação no preço do produto não está dando mostras de arrefecimento. O economista comentou que, de uma maneira geral, as elevações de preço na inflação do varejo em janeiro deste ano eram mais ou menos esperadas, e características do primeiro mês do ano - como os reajustes em mensalidades escolares, por exemplo. "O único efeito de elevação que não é típico de janeiro é essa elevação no preço do álcool",

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.