Mesmo com incentivo, agricultores mantêm protesto em Brasília

Apesar das medidas de ajuda ao setor agrícola anunciadas hoje, os agricultores decidiram manter as manifestação prevista para o dia 16 em Brasília. "Não conseguiremos desmobilizar a base só com o que foi anunciado hoje. Só com um item não temos força para desmobilizar os produtores", disse o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Mato Grosso (Famato), Homero Pereira Alves.A única medida anunciada hoje foi de que o governo vai liberar R$ 1 bilhão para garantir o preço mínimo na comercialização da soja. Nesta semana, as lideranças apresentaram uma pauta de 13 itens ao ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, mas nenhuma das medidas foi anunciada, contrariando as expectativas de lideranças do setor. O presidente da Federação da Agricultura do Mato Grosso do Sul (Famasul), Leôncio Brito, disse que esta medida não resolve os problemas do setor. "Grande parte da safra já não está mais com o produtor. A medida não tem efetividade para garantir a renda", disse. Segundo Brito, o governo não conseguiu tranqüilizar os ânimos no campo."Pelo contrário, o governo consegui acirrar o desejo do pessoal de se organizar e de seguir para Brasília", completou.De acordo com Alves, Rodrigues disse na manhã de hoje a representantes dos produtores do Mato Grosso que novas medidas de apoio ao setor serão anunciadas no dia 25 de maio.Esfriamento Depois de anunciar a medida de ajuda aos agricultores de soja, o ministro da Agricultura adiantou que o objetivo não era de impedir novos protestos de agricultores. Rodrigues completou ainda que foi dele a iniciativa de promover um encontro entre os 12 governadores que participarão da manifestação e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Palácio do Planalto.Segundo o ministro, a soja tinha ficado de fora dos pacotes de ajuda aos agricultores anunciados até agora, e por isso o governo decidiu anunciar a alocação de R$ 1 bilhão para apoiar a comercialização da oleaginosa. O governador do Mato Grosso, Blairo Maggi, diz que a área plantada com soja no Estado deve cair 30%, mas Rodrigues não quis confirmar o número. O ministro disse que o problema é de renda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.