Mesmo com inflação maior, Selic deve ficar estável em 2004

As projeções de mercado para a taxa de juros no fim do ano permaneceram estáveis em 16% ao ano em pesquisa semanal do Banco Central (BC). A estabilidade registrada pela terceira semana consecutiva ocorreu mesmo a pesquisa tendo registrado elevações das previsões de Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para este e o próximo ano ? veja mais informações no link abaixo.A política monetária no Brasil usa a taxa de juros como ferramenta para o controle da inflação. Isso porque juros mais altos inibem o consumo, o que impede uma alta de preços provocada por uma demanda maior. A pesquisa divulgada hoje aponta uma elevação na perspectiva para inflação. Porém, não revela um aumento também na projeção de juros. Esta avaliação pode ter sido motivada pela percepção de que as taxas de juros no Brasil já estão muito elevadas.Para o fim de 2005, as instituições financeiras ouvidas pelo BC mantiveram suas previsões de juros em 14,75% ao ano. As previsões para setembro próximo também não se alteraram e permaneceram em 16% ao ano pela sexta semana consecutiva.CâmbioAs previsões de taxa de câmbio para o fim do corrente mês, por sua vez, recuaram de R$ 3,05 para R$ 3,00, ficando ainda num patamar acima dos R$ 2,95 do fechamento da última sexta-feira. Para o fim de setembro, as projeções de mercado para a taxa de câmbio recuaram de R$ 3,05 para R$ 3,04. Para o final do ano, as projeções colhidas pelo BC continuaram estáveis em R$ 3,10 pela décima terceira semana consecutiva. As estimativas de câmbio para o fim de 2005, entretanto, recuaram de R$ 3,21 para R$ 3,20.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.