Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Mesquita diz que BC não quer direcionar taxa de câmbio

O diretor de Política Econômica do Banco Central (BC), Mário Mesquita, não quis comentar a ata do Copom, divulgada ontem, alegando que ela é autoexplicativa. "O câmbio é flutuante e não há intenção do Banco Central de direcionar a taxa de câmbio em qualquer direção", reafirmou. A declaração foi feita em resposta a uma pergunta sobre se o Banco Central estaria induzindo redução gradual e continuada do dólar ao intervir no câmbio por meio de um leilão de swap cambial reverso, operação financeira em que o Banco Central compra dólares no mercado. O resultado é uma imediata interrupção no processo de queda da cotação da moeda americana. Mesquita, porém, negou essa intenção e disse que a operação foi feita na última terça-feira porque "surgiu uma oportunidade no mercado de zerar a posição" de swap cambial (troca de moedas) assumida pelo Banco Central durante a crise. De acordo com ele, a operação não teve o objetivo de atender aos interesses dos exportadores. "Nosso objetivo é o de ajudar a economia brasileira como um todo, sem privilegiar nenhum setor."Mário Mesquita fez as declarações no Rio após divulgar o Boletim Regional do BC, uma publicação trimestral. Segundo ele, o Sul e o Sudeste foram mais atingidos pela crise do que o Nordeste, o Norte e o Centro-Oeste, em razão de características como maior exposição ao comércio exterior e menores transferências de recursos do governo.

Adriana Chiarini, O Estadao de S.Paulo

08 de maio de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.