Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Mester, do Fed, quer que orientação sobre política monetária seja mais baseada em dados

A presidente do Federal Reserve de Cleveland, Loretta Mester, afirmou acreditar que o banco central dos Estados Unidos deveria reformular a maneira como comunica sua orientação de política monetária, talvez atrelando seus comunicados a projeções sobre o desempenho econômico.

REUTERS

24 de setembro de 2014 | 13h39

Mester afirmou que tal sistema daria ao público, investidores e outros um senso mais claro de onde a política monetária está indo com base no desempenho econômico.

"Eu gostaria de ver a orientação futura evoluir ao longo do tempo para dar mais informação sobre as condições que sistematicamente avaliamos ao calibrar a postura de política ao progresso real da economia e progresso esperado", disse Mester.

As declarações foram dadas em meio a uma ampla revisão da estratégia de comunicação do Fed liderada pelo vice-chair Stanley Fischer e um debate mais imediato sobre como alterar o atual comunicado de política para abrir caminho a altas de juros e remover aos poucos a linguagem originada na crise econômica.

Mester repetiu uma crítica anterior - de que sente ser o momento para o Fed retirar uma frase importante de que levará um "tempo considerável", quando o programa de compra de títulos do Fed terminar, para que as taxas de juros sejam elevadas.

Mester, que atualmente vota no comitê de política do Fed, não foi dissidente no última reunião do Fed, e a linguagem no comunicado ficou virtualmente inalterada.

(Reportagem de Howard Schneider)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROEUAMESTER*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.