Meta do superávit primário poderá ser estendida até 2009

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou hoje que "provavelmente" a meta de superávit primário de 4,25% do PIB será estendida até 2009, na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que será encaminhada ao Congresso Nacional, até o próximo dia 15. Superávit primário é o resultado da arrecadação menos os gastos do governo, exceto o pagamento de juros. Ele afirmou, no entanto, que ainda não há uma decisão final, de governo, em torno disso. "Essa é uma proposta do Ministério do Planejamento, mas nós ainda vamos conversar com o Ministério da Fazenda e com o presidente Lula, para que seja tomada uma decisão", disse Bernardo, em rápida entrevista à Agência Estado. Questionado sobre o motivo da manutenção do índice de 4,25%, Paulo Bernardo se limitou a responder que o ministério julgava que isso era "o mais adequado". A meta de superávit primário está em 4,25% desde 2003, inicio do governo Lula, e a LDO do ano passado já projetava a manutenção dessa meta até 2008. Paulo Bernardo afirmou ainda que independentemente da possibilidade de mudança de governo, em 2007, a obrigação do Ministério do Planejamento é realizar essas projeções para encaminhá-las ao Congresso na LDO.

Agencia Estado,

07 Abril 2006 | 12h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.