Meta fiscal de 4,25% não impede crescimento, diz Levy

O secretário do Tesouro Nacional , Joaquim Levy, afirmou hoje, durante audiência pública na Comissão Mista de Orçamento do Congresso, que a meta fiscal de 4,25% do PIB, fixada pelo governo até 2006, não é impedimento ao crescimento econômico do País. Segundo o secretário, se o esforço for feito em conjunto, o cumprimento da meta fiscal não impedirá que a economia brasileira cresça a taxas maiores. "As coisas não são incompatíveis e a política econômica deste governo não é só o superávit. Há uma série de outras coisas", disse o secretário, lembrando que o governo vem desenvolvendo uma série de ações como as medidas para o setor da construção civil, com o objetivo de dinamizar a economia. Levy também destacou que a geração de emprego depende de questões estruturais, que estão sendo tratadas pelo governo e que portanto a política conjuntural não pode ser entendida como um empecilho à geração de postos de trabalho no País. A audiência pública terminou por volta das 13h30. A partir das 16 horas, Levy participaria, também em Brasília, de debate sobre Parcerias Público Provadas, num evento promovido pela Câmara Americana de Comércio.

Agencia Estado,

10 Março 2004 | 16h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.