finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Meta inflacionária do Japão é ambiciosa, diz Kuroda

O presidente do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Haruhiko Kuroda, disse que a meta de inflação de 2% é um plano "muito ambicioso", uma vez que o país tem uma história de 15 anos de deflação. Kuroda reconheceu que há um longo caminho a percorrer, mas disse que o ritmo deve aumentar.

AE, Agencia Estado

25 de novembro de 2013 | 04h26

Em discurso no Fórum Financeiro da Paris Europlace, em Tóquio, Kuroda disse esperar que a meta de inflação seja alcançada em algum momento no fim do ano fiscal de 2014 e início do ano fiscal de 2015. O ano fiscal de 2014 se encerra em março de 2015, e o ano fiscal de 2015 se inicia em abril daquele ano.

O presidente do BoJ reiterou que o banco central fará ajustes à política caso seja necessário para garantir a meta de inflação. Ele enfatizou que o programa de compra de ativos lançado em abril tem mostrado um impacto positivo na economia e nos mercados financeiros. Kuroda também lembrou que as flutuações nos mercados financeiros diminuíram desde setembro de 2012.

Os estímulos mostraram progresso ao ajudar o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) a subir 0,7% em setembro, mas alguns críticos dizem que a autoridade monetária terá que anunciar novos estímulos no próximo ano. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãoinflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.