Meta também é abrir novas portas para as exportações

Os investimentos chineses no Brasil também cumprem a função de abrir novos destinos para as exportações do país, que enfrenta dificuldades em seus mercados tradicionais - Europa e Estados Unidos - em razão da crise global. Com seus novos negócios, as empresas do país asiático esperam exportar máquinas, equipamentos, peças e componentes para suas bases de produção no Brasil.

, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2010 | 00h00

Na área de infraestrutura, a China tem interesse em participar da licitação para construção do trem de alta velocidade que vai ligar Rio, São Paulo e Campinas. O projeto, avaliado em R$ 34,6 bilhões, abriria a possibilidade de exportação dos trens pela China e serviria como uma vitrine de sua tecnologia nessa área.

Na avaliação do embaixador brasileiro em Pequim, Clodoaldo Hugueney, a tendência é que os investimentos da China no Brasil cresçam ainda mais no futuro e não apenas em setores ligados a recursos naturais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.