finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Metade da população global acessará a internet em 2017

No Brasil, em 2013, 51% das pessoas estavam conectadas à rede, mas só 10% delas tinham acesso à banda larga

JAMIL CHADE, CORRESPONDENTE / GENEBRA, O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2014 | 02h05

Pela primeira vez, o planeta caminha para ter metade de sua população conectada à Internet. Depois de 20 anos da existência da tecnologia, esse marco deve finalmente ser atingido em 2017. No Brasil, os dados apontam que já em 2013 a taxa de 51% da população com acesso à rede foi atingida. Mas apenas 10% dos brasileiros têm acesso à banda larga, uma espécie de medida do avanço tecnológico de um país. Em compensação, mais da metade deles já tem no celular.

Os cálculos são da União Internacional de Telecomunicações que, ontem, publicou novos números. Segundo o levantamento, a banda larga nos celulares e tablets é hoje "a tecnologia com maior crescimento na história da humanidade".

Ao final de 2013, mais de 40% da população mundial estava conectada na Internet, com 2,3 bilhões de pessoas. Até o final de 2014, esse número chega a 2,9 bilhões.

Dos mais de 194 países no mundo, 77 hoje têm mais de 50% de sua população online. Todos os dez países líderes do ranking estão na Europa. Na Islândia, a taxa é de 96%. Uma situação radicalmente diferente é a da África. Em países como Etiópia, Nigéria, Guiné e Serra Leoa, a taxa de penetração da Internet não chega nem a 2% da população. Na Eritreia, ela é de 0,9%.

No Brasil, 2013 terminou com 51,6% da população conectada. O fato de quase metade dos brasileiros ainda não ter internet deixa o País na modesta 74ª posição no ranking mundial da conectividade. Entre os países em desenvolvimento, o Brasil aparece apenas na 34ª posição. A penetração nas residências é ainda de apenas 42%, contra 98% na Coreia do Sul, país que nos anos 80 tinha o mesmo PIB per capita que o Brasil.

No que se refere à Internet de banda larga em casa, a liderança é de Monaco, com uma penetração de 44%, contra 43% na Suíça e 40% na Dinamarca. O Brasil vem apenas na 73ª posição, com 10,1% de penetração e abaixo da Geórgia, Moldova ou Bósnia.

Celulares. Se o acesso residencial ainda é falho no Brasil, o acesso dos brasileiros à banda larga em celulares, porém, é elevado. Com 51% de penetração, o Brasil aparece na 37ª posição entre os países com o maior uso dos smartphones com banda larga.

Nos dez primeiros lugares do ranking, todos os países apresentam taxas de penetração acima de 100%. Cingapura, por exemplo, soma mais de 135 assinaturas de banda larga para cada 100 pessoas.

Para a UIT, a realidade é que a tecnologia da Internet nos celulares e smartphones definirá o futuro da rede. Hoje, existem três vezes mais pessoas com o acesso móvel que banda larga fixa e, segundo a UIT. Isso permitiu que a popularidade das redes sociais atinjam 1,9 bilhão de pessoas. No Brasil, a penetração das redes sociais atingem 48% dos usuários da Internet, acima da média mundial.

A entidade aponta que 2,3 bilhões terão esse benefício ao final de 2014 em celulares e tablets. Em cinco anos, essa taxa chegará a 7,6 bilhões.

Ainda assim, a ONU alerta que o acesso continua sendo desigual.

"Apesar do crescimento fenomenal da Internet, ainda existem muitas pessoas que continuam desconectadas", alertou a diretora da Unesco, Irina Bokova.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.