finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Metade das famílias paulistanas tem algum tipo de dívida

Endividamento subiu pelo terceiro mês seguido, segundo pesquisa da Fecomercio

Carla Araújo, da Agência Estado,

11 de abril de 2013 | 11h39

SÃO PAULO - Pelo terceiro mês seguido subiu o número de famílias paulistanas endividadas. Em março, 52% das famílias tinham dívidas, o que representou um aumento em relação aos 50,9% de fevereiro e aos 48,8% de janeiro. As informações constam na Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) divulgada nesta quinta-feira pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

A alta no endividamento neste período do ano, destaca a entidade, era esperada por conta dos reflexos das compras de fim de ano e também em consequência ao número de impostos cobrados no início do ano. Em relação a março de 2012, o mês passado mostrou estabilidade no nível de endividamento (52,2%).

O número de famílias com dívidas em março, em números absolutos, chegou a 1,865 milhão, ante 1,826 milhão em fevereiro. Em março de 2012, esse montante era de 1,870 milhão.

De acordo com a Fecomercio, no grupo de famílias que ganham até dez salários mínimos o porcentual de endividados é de 53,6%, enquanto nas famílias com renda maior o endividamento é de 47,3%.

Segundo a Peic, o principal tipo de dívida continua sendo o cartão de crédito, meio de pagamento utilizado por 72,2% das famílias analisadas. Em seguida, veem carnês (20,5%), financiamento de carro (18,6%), crédito pessoal (12,9%), financiamento de casa (8,9%) e cheque especial (4,2%).

Tudo o que sabemos sobre:
dividaendividamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.