StockXchng
StockXchng

Metade dos cães nos Estados Unidos está acima do peso

Preocupação com a obesidade canina estimula negócio de clínicas e academinas de ginástica para animais

Economia & Negócios,

26 de setembro de 2013 | 16h31

NOVA YORK - Ela esteve em pelo menos três programas de fitness. Corre na esteira, nada em uma piscina olímpica acompanhada pelos gritos de incentivo dos treinadores e, embora ainda esteja acima do peso, Lolita continua otimista, sorrindo corajosamente entre os treinos e merendas de cenouras.

Lolita é um dachshund de 4 anos de idade. A raça, assim como acontece com o beagle e o labrador retriever, está propenso a ganhar quilos extras.

Segundo reportagem do The New York Times, mais da metade dos cães americanos está acima do peso. A informação é da Associação para a Prevenção da Obesidade Pet, uma organização fundada por um veterinário para chamar a atenção para o problema.

E, em cães, como em pessoas, o peso extra está ligado a casos de diabetes, artrites e pressão sanguínea elevada, bem como doenças renais e das vias respiratórias.


Fitness canino. Reduzir a ingestão de calorias é parte da solução. Mas, a dieta sem exercício não é suficiente. Assim, os cães têm sido levados cada vez mais para programas de fitness em canis e spas para animais em todo o país.

No Morris Animal Inn, na cidade de Morristown, onde Lolita está sendo tratada, piscinas e esteiras ocupam um edifício de 25 mil metros quadrados.

Funcionários em calças cáqui e camisas polo levam cães para exercícios e depois os recompensam com iogurte vegetal e outras refeições leves. Segundo a reportagem, o setor de clínicas para emagrecimento de cães vem ganhando espaço na economia americana.

Mais conteúdo sobre:
Cães

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.