bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Metade dos paulistanos diz não ter emprego fixo

Um em cada dois lares paulistanos possui pessoas que não consideram ter trabalho regular, permanente, com ou sem registro de carteira de trabalho. Este é o resultado de uma pesquisa realizada e divulgada hoje pela Toledo & Associados, contratada pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP). A pesquisa entrevistou mil pessoas das quais 500 afirmaram não ter trabalho permanente. "O quadro que enfrentamos é dramático. Nunca uma pesquisa realizada pela Toledo & Associados revelou uma situação como essa com respeito ao desemprego", afirmou. Do total de entrevistados, 51,2% responderam estar "desempregado e procurando emprego"; 26% disseram ser "desempregado, fazendo bico e procurando emprego"; 13,6% informaram ser "desempregado mas fazendo bico"; 7,8% afirmaram ser "desempregado e não procurando emprego"; 2,4% disseram ser "desempregado mas inscrito na Bolsa Trabalho da Prefeitura"; 1% afirmou ser "desempregado, mas inscrito no Começar de Novo da Prefeitura"; 0,8% respondeu ser "desempregado, mas inscrito no Peade/Fundap"; 0,6% disse ser "desempregado, mas na operação trabalho da Prefeitura (Frente de Trabalho)"; e 0,2% afirmou estar recebendo recursos do "INSS por invalidez temporária/tratamento médico".Segundo o presidente da Toledo & Associados, Francisco Toledo, a mostra resulta num porcentual de 104% porque várias respostas se sobrepõem quando o entrevistado disse não possuir trabalho regular. Toledo explicou ainda que diferentemente dos levantamentos quantitativos feitos pelo IBGE e pela Fundação Seade/Dieese, a pesquisa da Toledo & Associados teve um caráter qualitativo e procurou formar um perfil de como a população paulistana que diz não ter emprego formal vem enfrentando o problema.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.