Metais sobem com alta do euro e compras antes dos feriados na China

Embora os temores com o Egito possam sustentar a demanda dos investidores por ativos físicos, qualquer aumento significativo na aversão ao risco por causa da tensão poderá reduzir o interesse pelas commodities metálicas industriais

Regina Cardeal, da Agência Estado,

31 de janeiro de 2011 | 09h43

Os metais básicos estão em alta na London Metal Exchange (LME), favorecidos pelo fortalecimento do euro e pelas compras antes dos feriados do Ano Novo na China. Os participantes do mercado disseram que, embora as preocupações com o levante civil no Egito possam sustentar a demanda dos investidores por ativos físicos, qualquer aumento significativo na aversão ao risco por causa da tensão poderá reduzir o interesse pelos metais industriais.

Às 8h55 (de Brasília), os contratos para três meses de cobre na LME subiam 1,5% para US$ 9.671,75 a tonelada métrica.

O euro subia para US$ 1,3668, de US$ 1,3612 na tarde de sexta-feira em Nova York, ficando quase 6% acima de suas mínimas de três semanas atrás. Um dólar mais fraco em geral aumenta a demanda pelas commodities denominadas na moeda norte-americana, ao torná-las mais baratas para compradores com outras divisas.

O analista John Meyer, da Fairfax IS, disse que as expectativas de que a demanda chinesa vá subir depois das celebrações do Ano Novo "elevaram os preços esta manhã, com o compradores tentando garantir seus estoques para depois dos feriados". Os mercados financeiros chineses ficarão fechados entre os dias 2 e 8 de fevereiro.

O analista Hussein Allidina, do Morgan Stanley, disse que espera que o crescimento do consumo da China continue sustentando o complexo de metais. "Acreditamos também que as tendências de produção da China serão o componente-chave para o desempenho relativo dos metais, particularmente do alumínio, para o qual esperamos crescimento da demanda acima do crescimento da produção nos próximos dois anos", disse em relatório.

Às 8h55, o alumínio para três meses subia 0,3% para US$ 2.478,25 por tonelada, o zinco cedia 0,1% para US$ 2.352 por tonelada, o níquel estava em alta de 1,1%, em US$ 26.900 por tonelada, o chumbo ganhava 0,8% e era negociado em US$ 2.457,50 a tonelada e o estanho avançava 0,5% para US$ 29.800 a tonelada.

Os metais, que estão ignorando a queda dos mercados acionários, também continuam sendo apoiados pelos dados positivos sobre o Produto Interno Bruto dos EUA divulgados na semana passada, que reforçaram a confiança do investidor na recuperação da maior economia do mundo, disseram analistas.  O PIB do país cresceu 3,2% no quarto trimestre do ano passado, segundo estimativa preliminar divulgada pelo Departamento do Comércio. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.