Metais sobem com expectativas positivas sobre PIB dos EUA

Mercado espera expansão de 3,5% do Produto Interno Bruto norte-americano no quarto trimestre sobre o terceiro trimestre

28 de janeiro de 2011 | 10h28

Os metais básicos sobem, sustentados pelas expectativas de que o governo dos EUA vai divulgar números fortes sobre o desempenho da economia no quarto trimestre do ano passado. Como são bastante usados na indústria, os metais básicos se beneficiam de sinais sobre crescimento econômico.

O relatório sobre o Produto Interno Bruto (PIB) do país será divulgado às 11h30 (de Brasília) e as previsões são de expansão de 3,5% sobre o terceiro trimestre. De modo geral, os preços dos metais estão bem fundamentados, segundo o analista Daniel Briesemann, embora o mercado deva "se acalmar um pouco" durante as celebrações do Ano Novo Lunar na China, a partir da próxima semana.

O cobre ampliou o rali em direção aos US$ 9.600 por tonelada na London Metal Exchange (LME) e, por volta das 9h30 (de Brasília), operava a US$ 9.582,25 por tonelada, uma alta de 1,5% sobre o fechamento de ontem. Nos primeiros dez meses de 2010, o mercado mundial de cobre refinado teve déficit de 400 mil toneladas, de acordo com o Grupo Internacional de Estudo de Cobre. Esse montante é comparável ao superávit de cerca de 32 mil toneladas no mesmo período de 2009.

O estanho dá continuidade ao seu rali e atingiu brevemente um novo recorde de US$ 29.700 por tonelada. Diferentemente do cobre, o estanho tem um mercado muito pequeno e especializado e tende a atrair compradores industriais físicos, em vez do interesse de fundos. Como resultado, o estanho é de certa forma isolado o sentimento dos investidores e dificilmente verá uma forte correção enquanto a oferta estiver pequena e a demanda estiver boa, disse um operador. Às 9h30, o estanho subia 1,4%, para US$ 29.501 por tonelada.

O níquel, embora suba 0,8%, para US$ 26.700 por tonelada, tinha o piro desempenho entre os metais básicos. Ontem a Vale anunciou que uma disputa trabalhista de 18 meses em suas operações em Voisey's Bay, no Canadá, pode chegar ao fim na próxima semana, o que fortaleceu os preços do níquel.

Entre os outros metais básicos negociados na LME, o alumínio subia 1,3%, para US$ 2.458 por tonelada; o zinco avançava 1,8%, para US$ 2.300,25 por tonelada; e o chumbo ganhava 1,7%, para US$ 2.460 por tonelada. Às 10h20 (de Brasília), o cobre para março negociado na Comex subia 0,53%, para US$ 4,3615 por libra-peso. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.