Metalúrgicos ameaçam entrar em greve em São Paulo

O Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes informou que cerca de dez mil trabalhadores sindicalizados aprovaram indicativo de greve em ato realizado nesta sexta-feira, na zona sul de São Paulo. A greve ainda não tem data de início e só será deflagrada, segundo os sindicalistas, caso as empresas não apresentem proposta de aumento salarial satisfatória nem aceitem a redução da jornada para 40 horas semanais.

AE, Agencia Estado

25 de setembro de 2009 | 17h58

De acordo com o presidente do sindicato, Miguel Torres, o indicativo de greve está relacionado ao anúncio do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 1,9% no segundo trimestre em relação ao primeiro trimestre. "Se o PIB continuar aumentando nesse ritmo, teremos crescimento de mais de 7% em 12 meses. Saímos de uma economia em baixa e agora a tendência é de melhora para os trabalhadores", afirmou.

Segundo o sindicato, as negociações já começaram, mas as empresas ainda não apresentaram proposta. A próxima manifestação está programada para segunda-feira, em Santo André (ABC paulista). Na ocasião, estará presente o deputado federal Vicentinho (PT-SP), relator da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 231/95, que prevê a redução da jornada de trabalho de 44 horas para 40 horas semanais e aumento na remuneração da hora extra de 50% para 75%. Para entrar em vigor, a PEC precisa ainda ser votada em dois turnos na Câmara e no Senado.

Tudo o que sabemos sobre:
grevemetalúrgicosSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.