finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Metalúrgicos aprovam proposta e encerram greve em São Paulo

Lorenzetti e Fundeps ofereceram aumento salarial, mais abono, e não descontarão as horas de paralisação

SOLANGE SPIGLIATTI, Agencia Estado

06 de novembro de 2009 | 08h06

Os cerca de dois mil funcionários da empresa Lorenzetti, na zona leste de São Paulo, e os 80 trabalhadores da Fundeps, na zona oeste da capital, decidiram encerrar a greve da categoria nesta última quinta-feira, 5. Durante as assembleias realizadas na manhã e à tarde desta última quinta, os trabalhadores aprovaram as propostas de aumento salarial das empresas e voltaram ao trabalho. A Lorenzetti estava parada desde terça-feira. A proposta aprovada estabelece 6,54% de aumento salarial mais 25,6% de abono e o pagamento, pela empresa, dos dias parados.

Na Fundesp, que ficou a quarta e parte da manhã desta última quinta-feira com as atividades paralisadas, a proposta estabelece reajuste salarial de 8% mais 24% de abono salarial para quem ganha piso salarial (R$ 748,00); e 7% mais 21% de abono, para quem ganha acima do piso. As horas paradas não serão descontadas. Já os 110 trabalhadores da Maurízio e Cia, na zona norte, voltaram ao trabalho ontem, após 10 dias corridos de greve pelo aumento salarial.

A atitude do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e dos trabalhadores atende determinação do Tribunal Regional do Trabalho que, em audiência na quarta-feira, não julgou a greve e marcou nova audiência para a semana que vem, entre o sindicato e a empresa, com intermediação de um representante do tribunal.

Tudo o que sabemos sobre:
grevemetalúrgicosSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.