Metalúrgicos atingem marca de 2 milhões de empregos

O setor metalúrgico brasileiro registrou em janeiro a marca histórica de 2,01 milhões de trabalhadores, patamar que não era alcançado desde 1991. Segundo estudo divulgado hoje pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese) e pela Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM), ligada à Central Única dos Trabalhadores (CUT), o saldo positivo de contratações entre janeiro e dezembro do ano passado foi de 180.242 postos, uma alta de 10,5%.Esse é o segundo melhor resultado dos últimos cinco anos, só superado pelo verificado em 2004 (11,2%), quando o setor iniciou um processo de retomada do crescimento. A tendência, segundo o estudo, é que o aumento do nível de emprego seja mantido em 2008, em função dos recordes de produção e de vendas de veículos obtidos no início deste ano.Em 1987, os metalúrgicos chegaram a formar uma massa de 2,8 milhões de trabalhadores. Afetado por seguidas crises econômicas, ao longo de dez anos, o setor dispensou 1,5 milhões de empregados, uma queda de 52%. O pior momento ocorreu em janeiro de 2000, quando apenas 1,2 milhão de metalúrgicos estavam empregados."Há algum tempo, estudiosos diziam que a automatização nos sistemas de produção acarretaria no recuo do número de trabalhadores metalúrgicos. Mas o crescimento econômico dos últimos anos mostra o contrário e nos dá estes números realmente animadores", disse, em nota, o secretário-geral da CNM, Valter Sanches.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.