Metalúrgicos cruzam os braços em fábrica da Volkswagen

Os cerca de 8 mil trabalhadores do primeiro turno da fábrica da Anchieta da Volkswagen ficaram de braços cruzados hoje, de 6h às 10h. Os metalúrgicos do turno da tarde estão fazendo manifestação idêntica até 18h. Foi mais um protesto contra a transferência de empregados considerados excedentes para o Instituto Gente, uma unidade de negócios da Volks onde os funcionários serão treinados para serem recolocados em outros empregos.Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, 1.923 trabalhadores de São Bernardo do Campo foram avisados sobre a transferência, que ocorrerá em 1º de setembro. No total, a empresa quer transferir 3.933 pessoas de várias áreas para a Autovisão Brasil, uma divisão que está em processo de criação para atrair investimentos e realocar funcionários. Outros 2.010 funcionários da fábrica de Taubaté (SP) serão transferidos. Em assembléia realizada hoje à tarde, no pátio da Volkswagen da Anchieta, que reuniu cerca de 13 mil trabalhadores, a categoria aprovou os protestos. Eles picaram as cópias de todas as cartas que a empresa entregou informando sobre a transferência. Hoje, os originais das cartas estão sendo devolvidos a montadora. O Sindicato mantém com a Volks um acordo de estabilidade válido até 2004 para os funcionários de Taubaté e até 2006 para os do ABC.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.