Reprodução/Google Maps
Reprodução/Google Maps

coluna

Fernanda Camargo: O insustentável custo de investir desconhecendo fatores ambientais

Metalúrgicos da Elgin entram de greve por tempo indeterminado

Trabalhadores pedem reajuste de 12%; sindicato patronal oferece recomposição inflacionária de 3,28%

Ana Luiza de Carvalho, O Estado de S.Paulo

19 de setembro de 2019 | 14h07

Os funcionários da Elgin, companhia brasileira que produz peças para o setor de refrigeração, entraram em greve por tempo indeterminado nesta quarta-feira, 18.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos (SP), a paralisação foi aprovada em assembleia realizada com os 230 funcionários. 

 

 

Os trabalhadores pedem reajuste salarial de 12% e renovação da Convenção Coletiva da categoria. A proposta da empresa foi de recomposição inflacionária de 3,28%, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

A Elgin é representada na negociação pelo Sindicato da Indústria de Refrigeração, Aquecimento e Tratamento de Ar no Estado de São Paulo (Sindratar-SP), filiada à Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)O Sindratar-SP afirmou que "o processo negocial encontra-se em andamento".

Greve da Embraer

Essa é a segunda greve aprovada por trabalhadores vinculados ao Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos nesta semana. No último dia 17, os trabalhadores da Embraer declararam estado de greve.

Em reunião realizada na última terça-feira, 17, a Fiesp também propôs reajuste que repõe apenas a inflação. Caso a negociação com a Fiesp não avance, os funcionários afirmam que podem iniciar a paralisação no próximo dia 23.

Tudo o que sabemos sobre:
Elgingreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.