Metalúrgicos da Embraer aprovam greve de 24 horas

Os metalúrgicos do primeiro turno de trabalho da Embraer, unidade da Faria Lima, em São José dos Campos (SP), aprovaram hoje greve por 24 horas. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, esta é a primeira greve na Embraer em pelo menos dez anos e é "resposta à intransigência da empresa, que se recusa a iniciar negociações imediatas pela campanha salarial com o Sindicato".

AE, Agencia Estado

22 de setembro de 2011 | 13h43

Atualmente, as negociações do setor aeronáutico são feitas entre a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e o Sindicato dos Metalúrgicos, mas os trabalhadores querem que as negociações passem a ser feitas diretamente com a Embraer. Somente em São José dos Campos, a fabricante de aviões possui cerca de 12 mil funcionários.

Os metalúrgicos reivindicam reajuste salarial de 17,45%, sendo 9,75% de aumento real, direito a eleição de Delegados Sindicais e melhores condições de saúde e segurança para os trabalhadores. Entre as principais reivindicações também está a redução da jornada para 40 horas semanais. Atualmente, a Embraer pratica 43 horas, uma das maiores da região e a maior do mundo entre as empresas do setor aeronáutico. Os trabalhadores querem também antecipar a data-base de novembro para setembro.

Na última terça-feira os metalúrgicos da Embraer já haviam aprovado estado de greve para a campanha salarial deste ano.

Tudo o que sabemos sobre:
trabalhoEmbraergreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.