Metalúrgicos da Força fazem manifestação contra juros altos

Metalúrgicos ligados à Força Sindical realizam amanhã, em frente à fábrica da General Motors de São Caetano do Sul (SP), no ABC, manifestação contra os juros altos. O protesto acontecerá no período da manhã e tem como intenção alertar o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central sobre os efeitos que as recentes elevações na Selic (taxa básica de juros da economia) já provocam no setor produtivo, inclusive com a possibilidade de demissão de funcionários. No final da tarde da quarta-feira, o Comitê encerrará a reunião ordinária do mês de maio e anunciará a nova taxa de juros que passará a vigorar até o encontro de junho. A Força Sindical estima que 8 mil trabalhadores paralisarão as atividades durante duas horas, das 5h30 às 7h30. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano do Sul, filiado à Força Sindical, o aumento constante das taxas de juros resultou na queda das vendas. O sindicato informa que os trabalhadores da GM trabalhavam 45 horas semanais até abril e hoje trabalham 40 horas. Diz ainda que a empresa já deixou de produzir 400 unidades neste mês, já anunciou Plano de Demissão Voluntária (PDV) e avisou que, se a taxa de juros subir novamente, demitirá funcionários. "O setor produtivo não suporta mais as taxas de juros estratosféricas e já começa a fechar postos de trabalho. Em seguida deve haver demissões nas autopeças. O governo precisa ter sensibilidade social e abaixar as taxas imediatamente", afirma, em nota à imprensa, o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho.

Agencia Estado,

17 Maio 2005 | 15h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.