Divulgação
Divulgação

Metalúrgicos da GM em São José dos Campos terão salários corrigidos pela inflação

Piso salarial na montadora teve aumento de 14,97%; trabalhadores da Avibras também obtiveram reajuste na mesma proporção

Eduardo Laguna, O Estado de S.Paulo

23 Setembro 2016 | 19h49

Os trabalhadores da General Motors (GM) em São José dos Campos, no interior paulista, aprovaram nesta sexta-feira, 23, acordo negociado pelo sindicato que corrige os salários pela inflação.

Em termos nominais, os vencimentos dos operários do parque industrial, onde são montados a picape S10 e o utilitário esportivo TrailBlazer, serão reajustados em 9,62%, o equivalente à inflação em doze meses medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) até agosto, mês da data-base. 

Os metalúrgicos da fabricante de equipamentos militares Avibras, sediada no mesmo município, conquistaram o mesmo reajuste, igualmente aprovado em assembleia realizada nesta sexta-feira. No início do mês, a Avibras e o sindicato já tinham celebrado um acordo para reduzir as demissões programadas pela empresa e garantir estabilidade de 120 dias a quem continuasse na fábrica.

De acordo com o sindicato dos metalúrgicos da região, além do reajuste salarial, o piso salarial na GM teve um aumento de 14,97%. O acordo renova ainda cláusulas sociais como a estabilidade no emprego a funcionários que sofreram alguma lesão no trabalho.

Em sua fábrica no ABC paulista, que produz os modelos Spin, Montana e Cobalt, a montadora já tinha fechado um acordo em abril que congelou os salários neste ano. Nesse caso, os metalúrgicos aprovaram a proposta para evitar demissões.

Mais conteúdo sobre:
São José dos Campos INPC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.