Metalúrgicos da Volkswagen estão parados por PLR maior

Os metalúrgicos da fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo (SP) estão parados desde hoje de manhã devido ao impasse com a direção da empresa na definição do valor da Participação de Lucros e Resultados (PLR). A empresa oferece um valor entre R$ 4.300 e R$ 4.700, mas os trabalhadores exigem R$ 5.500. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do Grande ABC, os empregados querem uma contrapartida da montadora, que elevou sua meta de produção de veículos em 2006 de 211 mil para 217 mil, sem aumentar o valor da PLR. A montadora confirmou a paralisação. Uma nova assembléia está marcada para as 15 horas para decidir por quanto tempo os metalúrgicos devem continuar parados. Os trabalhadores das fábricas da Volkswagen em Taubaté e São Carlos estão trabalhando normalmente hoje, mas também farão assembléia às 15 horas para definir se vão parar em protesto pela PLR maior. As negociações pela PLR na Volkswagen já duram dois meses. Na semana passada, os metalúrgicos da Volkswagen de São Bernardo do Campo não trabalharam na sexta-feira e no sábado. Os trabalhadores receberam a primeira parcela da PLR, um adiantamento de R$ 2 mil, no dia 28 de abril. A fábrica tem 12.400 funcionários e produz cerca de 900 carros por dia. Não há previsão de data para a próxima reunião entre a montadora e o sindicato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.