Metalúrgicos de São Caetano rejeitam oferta de montadoras

Em assembléia realizada ontem, os metalúrgicos da General Motors de São Caetano do Sul, no ABC paulista, rejeitaram a proposta de aumento salarial apresentada pelo Sinfavea, sindicato que representa as montadoras, na semana passada. Pela proposta, os salários teriam a reposição integral da inflação, de 4,82%, mais aumento real de 2,5%. O piso salarial da categoria seria reajustado em 7,73%.Aparecido Inácio da Silva, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano do Sul, que é filiado à Força Sindical, já encaminhou ofício aos representantes patronais solicitando a reabertura das negociações. A fábrica emprega 8,3 mil trabalhadores na produção.A mesma proposta havia sido aprovada, em assembléias no fim de semana, pelos metalúrgicos de São Bernardo do Campo e Taubaté, filiados à Central Única dos Trabalhadores (CUT).Em São dos José dos Campos, onde está localizada outra fábrica da GM, os metalúrgicos realizam assembléia hoje para votar a proposta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.