coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Metalúrgicos de São José aguardam Lula para manifestação

A visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Refinaria Henrique Lages (Revap), na cidade de São José dos Campos, São Paulo, será marcada por uma manifestação de funcionários da General Motors e da LG Phillips, liderada pelo Sindicato dos Metalúrgicos da cidade, vinculado ao PSTU e ao PSOL, e pela Coordenação Nacional de Lutas (Conlutas). De acordo com a diretoria do sindicato, a idéia é reunir cerca de 3 mil manifestantes para protestar contra as 960 demissões na GM e 120 na LG Phillips, previstas para agosto.O sindicato pretende entregar uma carta ao presidente Lula contra as ameaças de demissões, destacando que isso trará sérios prejuízos à região e também para essas famílias. Nesta sexta-feira, inclusive, os trabalhadores da GM já promovem paralisação de 24 horas.Os manifestantes alegam que Lula já foi operário e também já fez muita greve contra demissões. E, por essa razão, esperam que ele seja sensível às reivindicações da categoria.Apesar da disposição dos manifestantes, que prometem parar a Via Dutra numa grande caminhada, o Palácio do Planalto já montou um grande esquema de segurança no Vale do Paraíba para isolar o presidente da República e também para garantir o tráfego na rodovia, durante o evento na Revap na tarde desta sexta-feira.Reforço A Polícia Rodoviária Federal reforçou a equipe de plantão e conta com reforço de policiais de São Paulo. O comando da Polícia Militar do Vale do Paraíba informou também que dará apoio às equipes de segurança para que tudo transcorra normalmente. Além deste aparato, o presidente conta com o suporte da Polícia Federal em sua viagem e de agentes do Exército.Se depender desta organização, os manifestantes não conseguirão chegar nem aos portões da Revap, porque a polícia pretende isolar a refinaria para que os sindicalistas não possam entrar no local. Além disso, o presidente Lula chegará de helicóptero. E, provavelmente, não deverá ter contato com estes manifestantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.