Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Metalúrgicos de Taubaté aprovam proposta da Volks

Os trabalhadores da Volkswagen de Taubaté, no interior paulista, aprovaram hoje, em assembléia, a proposta de reajuste salarial apresentada pelas montadoras, que prevê aumento real de 2,5%, além da reposição da inflação dos últimos dos últimos 12 meses pelo INPC e um reajuste de 7,73% no piso salarial. A mesma proposta já havia sido aprovada no sábado, pelos metalúrgicos do ABC. "Foi uma negociação difícil, mas que apresentou um resultado que satisfaz a expectativa dos trabalhadores", disse Walmir Marques, o Biro Biro, presidente da Federação Estadual dos Metalúrgicos (FEM)e do Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté. Em São José dos Campos o Sindicato dos Metalúrgicos deverá realizar assembléias amanhã com os cerca de 8.500 trabalhadores da General Motors para colocar a proposta de reajuste salarial em votação. O sindicato pede 13,5% de reajuste, incluindo 9% de aumento real, e ameaça convocar uma greve se não for atendido. "É bem provável que a gente pare algumas empresas a partir de terça-feira", disse o diretor Vivaldo Moreira Araújo. O sindicato é ligado ao Conlutas, uma dissidência da Central Única dos Trabalhadores (CUT), que negocia separado da FEM.Para Biro Biro, a proposta do sindicato de São José dos Campos está fora da realidade. "Fizemos uma negociação de acordo com o que está ocorrendo no mercado. Não podemos vender ilusão para o trabalhador. Eles estão numa situação difícil", disse. Segundo Biro Biro, o fim do impasse com as montadoras - havia ameaça de greve dos trabalhadores da Volkswagen - abre novas perspectivas para as negociações com os ramos de autopeças e eletroeletrônicos. "Vamos nos basear nesse acordo e acredito que fecharemos a campanha salarial desse ano com absoluto sucesso", relatou.

JOÃO CARLOS DE FARIA, ESPECIAL PARA AE, Agencia Estado

09 de setembro de 2007 | 18h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.