Metalúrgicos do ABC conseguem acordo salarial parcial

Os metalúrgicos do ABC paulista continuam em greve, mas parte do movimento obteve uma vitória na tarde desta sexta-feira. Os trabalhadores de 30 empresas de São Bernardo do Campo, Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra conseguiram ter atendidas todas as reivindicações pedidas pela categoria. São elas: 6,53% de aumento salarial, dos quais 2% de reajuste real, mais abono de um terço do salário médio do grupo (o que representa mais 2,07% de aumento real). Eles retornarão ao trabalho imediatamente. Nas demais empresas, a greve continua.

AE, Agencia Estado

18 de setembro de 2009 | 20h57

O Sindipeças (sindicato das autopeças) e representantes dos demais grupos da categoria tiveram suas propostas rejeitadas na mesa de negociação. Ontem, assembleia com mais de 4 mil trabalhadores decretou greve dos mais 60 mil trabalhadores.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, nas 30 fábricas que já se comprometeram, por escrito, a aceitar a proposta, os trabalhadores decidiram voltar ao trabalho e aguardar o desfecho e o acordo coletivo trabalhando.

Além dos trabalhadores em autopeças (Grupo 3 mais os de parafusos e forjarias), estão sem proposta de aumento salarial o Grupo 2 (máquinas e eletroeletrônicos), Fundição e Grupo 8 (laminação e trefilação, refrigeração, condutores elétricos, material ferroviário e rodoviário, artefatos de metais, balanças, esquadrias e de construções metálicas).

Tudo o que sabemos sobre:
grevemetalúrgicosABC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.