Metalúrgicos do ABC decidem iniciar greve à meia-noite

Deve começar à zero hora de sexta-feira a greve dos metalúrgicos do ABC, que envolve cerca de 60 mil trabalhadores. A decisão foi tomada, por unanimidade, no início da noite desta quinta-feira em assembleia com mais de 4 mil trabalhadores, realizada na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo.

AE, Agencia Estado

17 de setembro de 2009 | 20h47

Segundo comunicado da assessoria de imprensa do sindicato, a decisão da categoria é consequência da falta de proposta das empresas, mesmo com a categoria em campanha salarial durante o último mês. Os trabalhadores reivindicam o mesmo acordo conquistado pelas montadoras: aumento real de 2%, além dos 4,44% da inflação do período (total de 6,53%), mais abono correspondente a um terço do salário médio do grupo. A categoria tem data-base em 1º de setembro e está em campanha salarial há mais de um mês. Trabalham nas montadoras cerca de 32 mil dos 96 mil metalúrgicos da base.

O acordo das montadoras envolve os trabalhadores da Volkswagen, Ford, Mercedes-Benz, Scania e Toyota e foi negociado pelo sindicato e Sinfavea e aprovado em assembleia com 10 mil trabalhadores no último sábado. O abono nas montadoras foi de R$ 1.500. Nas demais empresas o valor do abono reivindicado vai variar de acordo com a média salarial de cada grupo.

O sindicato, segundo o comunicado, afirma que não é mais possível aceitar as desculpas dos empresários para não conceder aumento real, com base em argumentos referentes à crise financeira internacional. A data-base do Grupo 10 (lâmpadas e aparelhos elétricos e de iluminação, equipamentos médicos, odontológicos e hospitalares, móveis metálicos, mecânica, tratamento de superfície, estamparia, material bélico, rolhas metálicas e reparação de veículos) é 1º de novembro.

Tudo o que sabemos sobre:
grevemetalúrgicosABC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.