Metalúrgicos do Paraná também querem reajuste

Seguindo o exemplo dos metalúrgicos de São Paulo, os paranaenses também pretendem conseguir o repasse de 13,06% da inflação acumulada nos últimos cinco meses e ameaçam com uma greve. Representantes do Sindicato dos Metalúrgicos e das três principais montadoras instaladas no Estado - Renault, Volkswagen-Audi e Volvo - devem se reunir amanhã e segunda-feira para uma nova tentativa de acordo.Caso não se consiga avanços na negociação, o sindicato pretende realizar assembléia na terça-feira para aprovar a estratégia de paralisação. Segundo o sindicato, desde a última correção salarial dos metalúrgicos ocorrida em setembro, até fevereiro, a cesta básica já subiu 23%. "Os preços não esperam e nós também não podemos esperar", diz o presidente, Sérgio Butka.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.