Metalúrgicos entram em greve no Estado de São Paulo

Trabalhadores ligados á Força Sindical querem pressionar por aumento salarial e garantias sociais

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

22 de outubro de 2007 | 10h22

Os metalúrgicos ligados à Força Sindical no Estado de São Paulo entraram em greve nesta segunda-feira, 22, para pressionar por aumento salarial e garantia das cláusulas sociais da convenção coletiva. Ainda não há um balanço de quantos trabalhadores aderiram à paralisação. Segundo o sindicato da categoria, a paralisação acontece nas maiores empresas do grupo de máquinas e eletroeletrônicos, em todo o Estado, setor que emprega quase 50% dos 700 mil trabalhadores da categoria. Isso significa que o movimento deve envolver perto de 190 mil trabalhadores em vários municípios, como Ribeirão Preto, Osasco, Guarulhos, Mococa, Jundiaí, Piracicaba, Santa Bárbara D'Oeste, Mogi Guaçu, Tupã e Araçatuba, entre outros. Nesta tarde, o comando sindical vai fazer uma avaliação do movimento, e se os grupos patronais não apresentarem uma contraproposta satisfatória, as greves serão intensificadas.  A categoria já recusou a única proposta salarial de 6%, que também quer reduzir vários benefícios da convenção coletiva, entre eles, a comissão eleitoral da Cipa (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) e o item que prevê que apenas empregados próprios, e não terceirizados, podem fazer serviços de manutenção mecânica e elétrica. A campanha salarial envolve 53 sindicatos metalúrgicos no Estado. A data-base é 1º de novembro e a categoria reivindica reajuste salarial de 12%, piso único de R$ 900, fim da terceirização ilegal, obrigatoriedade de negociação da PLR (Participação nos Lucros ou Resultados), entre outras.

Mais conteúdo sobre:
Metalúrgicosgreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.