Metalúrgicos fecham mais 25 acordos salariais

Os metalúrgicos ligados à Força Sindical fecharam hoje 25 novos acordos salariais, 20 deles com empresas que haviam ameaçado parar as atividades nesta terça-feira e outras cinco que não estavam na lista de paralisações. Duas empresas estão paralisadas por falta de acordo.Dessa forma, sobe para 47 o número de acordos fechados em dois dias de movimento (ontem, foram 22).De acordo com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, Eleno Bezerra, 13.050 trabalhadores foram beneficiados com os acordos, que prevêem reajuste salarial com base no índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) referente ao período de novembro de 2003 a outubro de 2004, mais 4% de aumento real.Embora já tenha firmado acordos individuais com algumas empresas, o sindicato continua a negociar um acordo amplo, para toda a categoria, com o Grupo 10, da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), formado por dez sindicatos patronais das áreas de mecânica, funilaria, lâmpadas, estamparia de metais e outros. Se o acordo amplo for melhor do que o fechado individualmente com as empresas, será estendido a toda a categoria.O principal negociador pela Fiesp, empresário Roberto Della Manna, diz que a estratégia do sindicato de fechar acordos individuais até pode resultar em acordos favoráveis, mas torna inviável um benefício mais amplo, pois os sindicalistas terão de negociar com centenas de empresas. Ele reclamou da divisão das negociações por grupos de sindicatos patronais, os grupos 9 e 10.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.