Metalúrgicos não aceitam proposta de montadoras

Os metalúrgicos do Estado de São Paulo tiveram a terceira rodada de negociações com os representantes do Sinfavea (sindicato que representa as montadoras) e não avançaram nas negociações sobre reposição salarial. A proposta das montadoras foi recusada e a próxima reunião com o Sinfavea será no dia 24.Os metalúrgicos do ABC fecham a campanha salarial deste ano até dia 31 de agosto. No dia 1º de setembro, haverá uma assembléia geral para votar a proposta que for negociada até lá. Estão envolvidos os sindicatos de metalúrgicos da CUT de São Bernardo do Campo e Taubaté; da CBTE - Central Brasileira de Trabalhadores e Empreendedores, de São Carlos; e os da Força Sindical de São Caetano e Tatuí.A proposta apresentada pelo Sinfavea, segundo informa o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, foi de reposição integral da inflação do período para quem ganha até R$ 5 mil em São Bernardo do Campo, São Caetano, Tatuí e Taubaté; e para quem ganha até R$ 1,9 mil em São Carlos.Acima deste teto, a proposta patronal é dar um abono fixo de R$ 300,00 para os trabalhadores das montadoras de São Bernardo, São Caetano, Tatuí e Taubaté; e abono fixo de R$ 114,00 para São Carlos. Os sindicalistas rejeitaram a idéia, reivindicando aumento real de renda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.