finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Metalúrgicos unificam campanha salarial em SP

A Federação dos Sindicatos dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo (FEM/CUT), a Central Sindical e Popular (CSP-Conlutas) e a Intersindical anunciaram nesta terça-feira, 17, a unificação da campanha salarial de cerca de 360 mil metalúrgicos de empresas paulistas com data-base em setembro.

GUSTAVO PORTO, Agencia Estado

17 de setembro de 2013 | 19h33

Os metalúrgicos farão ainda uma série de paralisações de 24 horas e assembleias, cuja pauta pede o aumento salarial de 13,5%, a redução de 44 horas para 40 horas e a retirada da Câmara dos Deputados do projeto de lei que regulamenta a terceirização, entre outros itens.

"É a primeira vez desde 1997 que ocorre a unificação", lembrou o representante da CSP-Conlutas e presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Antonio Ferreira de Barros, o Macapá. "Avaliamos que estamos enfrentando dificuldades bem parecidas nas diversas regiões e ficou decidido que a partir de amanhã vamos unificar as manifestações pela campanha salarial", completou Rafael Marques presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

Segundo o sindicato do ABC, metalúrgicos de 15 empresas da região farão paralisações nesta quarta-feira, 18, com duração de 24 horas, algumas delas, em Diadema e em São Bernardo do Campo, com assembleias pela manhã. As mobilizações no ABC começaram na semana passada, com o atraso na entrada de mais de 18 mil metalúrgicos em 48 empresas. A CSP-Conlutas não informou quais companhias serão paralisadas.

Tudo o que sabemos sobre:
metalúrgicos SPcampanha salarial

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.