Metalúrgicos votam flexiblização da CLT

O presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, disse, neste domingo de manhã, que os metalúrgicos de São Paulo são os primeiros a votar uma pauta de flexibilização da Consolidação da Legislação Trabalhista (CLT).Segundo estimativa dos sindicalistas, cerca de 5 mil metalúrgicos participam, neste domingo de manhã, de encontro no bairro da Liberdade, em São Paulo, e logo mais devem votar os cinco itens de reivindicações que depois serão utilizados em negociação direta com os empresários pelos 50 sindicatos dos metalúrgicos no Estado de São Paulo. A Força Sindical estima o número de participntes entre 25 mil e 30 mil.Segundo Paulinho, as categorias dos borracheiros e dos químicos serão as próximas a aprovar uma pauta de flexibilização. O presidente da Força Sindical acredita que o Senado não votará a flexibilização até o prazo de 26 de março.Esta ratificação do Senado é necessária para que os pontos votados pelos trabalhadores e pelas empresas entrem em vigor em 2003. O sindicalista disse que a briga entre PFL e PSDB pode tirar o projeto do regime de urgência /urgentíssima.Ele avalia que a prorrogação da votação da lei pode prejudicar a campanha do PFL para a presidência. Ele disse que o PFL é muito ligado às empresas. Ponderou ainda que a política é um jogo, e nunca se sabe a reação que haverá por parte das empresas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.