México congela preços de 150 alimentos até dezembro

O governo do México e a principal entidade industrial do país chegaram hoje a um acordo para congelar os preços de 150 itens alimentícios de consumo popular. O objetivo de medida é permitir que a população mexicana tenha menos dificuldade para enfrentar a elevação mundial no preço dos alimentos.O presidente do México, Felipe Calderón, anunciou que o congelamento valerá até 31 de dezembro deste ano e abrange produtos como feijão, atum em lata, café, molho de tomate e sopas. A decisão foi tomada depois de um encontro entre o governante e integrantes da Confederação de Câmaras Industriais do México ocorrido hoje na capital do país.

AE-AP, Agencia Estado

18 de junho de 2008 | 12h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.