"be water"

Coluna Leandro Miranda: como se moldar à nova economia após a covid-19?

México diz que nova linha do FMI é 'muito útil'

O presidente do México, Felipe Calderón, afirmou ser favorável à recapitalização de instituições como o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial e acrescentou que o México estava pronto para aproveitar qualquer reforma que fosse implementada por estas instituições.

GUSTAVO NICOLETTA, Agencia Estado

31 de março de 2009 | 17h41

"Estamos prontos. Cumprimos os requisitos. Nossas finanças públicas estão em ordem e somos capazes de obter uma linha de crédito do FMI para dar um respaldo de US$ 30 bilhões a US$ 40 bilhões às reservas do banco central, até mesmo nesta semana", afirmou Calderón, durante um seminário em Londres.

No entanto, o presidente mexicano disse que o país não precisa utilizar o financiamento. Segundo ele, o sistema bancário do México está bem capitalizado e o banco central do país possui cerca de US$ 80 bilhões em reservas internacionais. "Isto significa que não precisamos utilizar a linha de crédito, mas seria muito útil ter este dinheiro à disposição", acrescentou.

Mais cedo, um relatório divulgado pelo Barclays Capital Research afirmou que o México pode ser o primeiro país a utilizar a nova Linha de Crédito Flexível (FCL, na sigla em inglês) do FMI. A linha foi criada na semana passada para países com fundamentos fortes e bom histórico na implementação de políticas econômicas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
MéxicoFMI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.