México enfrentará em 2010 pior desafio fiscal em 30 anos

Governo mexicano terá de administrar um déficit de 1,8% em 2010, fruto da queda na arrecadação neste ano

Andréia Lago, da Agência Estado,

12 de agosto de 2009 | 16h11

O ministro das Finanças do México, Agustin Carstens, forneceu nesta última terça-feira, 11, alguns indícios sobre o que economia do país deverá enfrentar nos próximos anos. Em seu testemunho na Comissão de Finanças do Senado Carstens atualizou as perspectivas para a economia mexicana, e antecipou alguns dos parâmetros e ideias que deverão estar presentes no Orçamento para 2010.

 

Veja também:

especialESPECIAL: Dólar, o fim de uma era?

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise

 

O grande cenário que surge e que o ministro chamou de o "pior desafio fiscal em 30 anos", será marcado pela queda brusca na arrecadação, provocada pela redução na produção e nos preços do petróleo, e pela desaceleração na atividade econômica.

 

O resultado é que o governo terá de administrar um déficit de 1,8% em 2010, representando pela queda na arrecadação de aproximadamente US$ 23 bilhões de dólares, ou 2,5% do PIB.

Tudo o que sabemos sobre:
Méxicoeconomiafiscal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.