Micro e pequenas empresas criaram 70 mil vagas em março

As micro e pequenas empresas do Estado de São Paulo criaram, no mês de março, 70 mil empregos, na comparação com fevereiro, um aumento de 1,2%, segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP). Já na comparação com o mesmo mês do ano passado, a expansão foi de 28 mil vagas, uma alta de 0,5%."As contratações de março são uma demonstração de otimismo dos empresários para os próximos meses, depois de um primeiro trimestre aquém das expectativas", analisou coordenador do departamento de pesquisas econômicas do Sebrae-SP, economista Marco Aurélio Bedê.Por setores, o comércio foi quem mais contratou em março, com um aumento de 2,2% do pessoal ocupado em relação a fevereiro, e de 3,7% na comparação com março de 2005. Indústria teve uma variação de 0,8% no número de vagas em março ante fevereiro, mas uma queda de 1,5% em relação ao mesmo mês do ano passado. Já o setor de serviços demitiu mais em março, com diminuição de 0,3% no número de postos de trabalho na comparação com o mês anterior, e queda de 2,8% ante março de 2005.Rendimento médio A pesquisa também revelou que o rendimento médio do empregado nas micro e pequenas empresas do Estado teve alta de 4,3% em março, na comparação com março de 2005. De acordo com o levantamento, o rendimento mensal médio dos empregados em março foi de R$ 671, contra R$ 644 no mesmo mês no ano passado. Em relação a fevereiro, entretanto, foi verificada uma queda de 1,1% no salário médio, quando este estava em R$ 679. O valor inclui salários fixos, honorários, comissões, ajuda de custo, 13º e abono de férias."Apesar da melhora recente, ainda estamos longe do melhor mês de março da série, em 2001, quando o empregado ganhava em média R$ 742. Os rendimentos médios dos trabalhadores ainda estão 10% abaixo do verificado há cinco anos", informou o diretor-superintendente do Sebrae-SP, José Luiz Ricca.De acordo com o Sebrae, existem 1,3 milhão de micro e pequenas empresas formalizadas, que empregam entre 5 e 6 milhões de pessoas. A pesquisa foi realizada com 2,7 mil empresas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.