Microempresas representavam quase 90% do total de companhias em 2008

Empresas grandes, porém, eram mais importantes em ocupação, pessoal assalariado e salários

Jacqueline Farid, da Agência Estado,

26 de maio de 2010 | 10h38

Das 4,1 milhões de empresas ativas no País em 2008, segundo o Cadastro Central de Empresas (Cempre) divulgado hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 3,6 milhões (88,7%) tinham de 0 a 9 pessoas ocupadas e eram denominadas microempresas. Porém, as empresas com 100 ou mais pessoas ocupadas, ou grandes empresas (28.830, ou 0,7% do total em 2008), eram as mais importantes em pessoal ocupado total (14,3 milhões, ou 43,4%), pessoal ocupado assalariado (14,2 milhões, ou 52,6%) e salários e outras remunerações (R$ 297,0 bilhões, ou 68,1%).

De acordo com a pesquisa, o valor de salários e outras remunerações pagos pelas empresas do Cempre em 2008 "apresentou uma relação direta com o porte das empresas". Enquanto nas empresas com 0 a 9 pessoas ocupadas o salário médio mensal foi de 1,8 salário mínimo, as empresas com 100 pessoas ocupadas ou mais pagaram mais que o dobro, ou 4,0 salários mínimos. Somente as empresas com 100 ou mais pessoas ocupadas pagaram salários acima da média do total das empresas (3,1 salários mínimos).

A pesquisa mostra também que, em 2008, regionalmente, os maiores salários médios mensais foram pagos em São Paulo (3,9 salários mínimos), Distrito Federal (3,7 salários) e Rio de Janeiro (3,5 salários). Os menores salários foram pagos principalmente nas unidades empresariais localizadas na região Nordeste, destacando-se Alagoas com 1,8 salário mínimo, Ceará e Paraíba com 1,9 salário mínimo.

Tudo o que sabemos sobre:
empresasIBGEpesquisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.