Microempresas retomam as contratações

Responsáveis por quase 60% do emprego na indústria paulista, as micro e pequenas empresas voltam a fazer contratações, passado o pior momento da crise para o setor. Pesquisa do Sindicato da Micro e Pequena Indústria do Estado de São Paulo (Simpi), feita com 1.068 empresas com até 50 empregados, indica que 11,3% contrataram trabalhadores no último trimestre de 2009. Somente 2,8% demitiram. No segundo trimestre do ano, pior momento da crise para o setor, 30% das empresas falavam em demissões.

AE, Agencia Estado

04 de dezembro de 2009 | 08h50

O índice de empresas que contrataram pode até parecer pequeno, mas não é. Existem no Estado de São Paulo cerca de 216 mil micro e pequenas indústrias, que mantêm quase 1 milhão de postos de trabalho formais. "Os resultados da pesquisa são um claro sinal de que as micro e pequenas indústrias estão conseguindo superar a crise e que a tendência é de crescimento do setor para os próximos meses", diz o coordenador do núcleo de pesquisas, estatísticas e tendências do Simpi, George Doi.

Para ele, o comportamento do emprego, detectado na pesquisa, é compatível com os indicadores de recuperação das empresas. A mesma pesquisa mostra um aumento do nível de utilização da capacidade instalada para 16,9% dos entrevistados e de queda, para outros 9,9%. No terceiro trimestre, 26,8% reduziram a capacidade ocupada e 14,9% aumentaram. Ele pondera que parte das contratações são temporárias. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.