finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Microfone tatuado no pescoço permite telefonar sem abrir a boca

Pedido de patente da tatuagem eletrônica foi feito pela Motorola, mas não existe previsão para o produto chegar ao mercado

Economia & Negócios,

29 de novembro de 2013 | 17h43

MILÃO - A gigante americana de tecnologia Motorola entrou com pedido patente de uma tatuagem eletrônica que se conecta a dispositivos móveis.

O novo produto é definido como "acoplamento de tatuagem eletrônica na pele para um dispositivo de comunicação móvel".

O componente tem capacidade de funcionar como um microfone que capta o som da voz diretamente do pescoço.

O invento é mais um item de uma tendência em curso de surgimento de ferramentas tecnológicas para se 'vestir', como os óculos e relógios inteligentes que transformam os seres humanos numa espécie de 'cyborg' dos filmes de ficção.

Receptor. No caso do novo sistema da sistema Motorola, o implante não é um microfone real, mas um sensor que recebe o fluxo de áudio directamente a partir da garganta.

O receptor decodifica o som e o envia para o telefone celular ou tablet via bluetooth.

Com a tatuagem eletrônica, o usuário, em tese, poderia comunicar-se com sinal de voz sem mexer a boca, o que elimina a fonte de todo o ruído de fundo e interferência e em um shopping lotado, estádio ou mesmo durante um concerto ou durante uma sessão de cinema.

Ainda não há informações sobre quando o microfone tatuagem chegará ao mercado.

Tudo o que sabemos sobre:
tecnologiaeletrônica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.