Microfranquia pode ser a porta de entrada Pare e pense

Investimento baixo, de até R$ 50 mil, suporte e treinamento atraem cada vez mais possíveis empreendedores

O Estado de S.Paulo

25 de julho de 2012 | 03h09

Investir em microfranquia pode ser a porta de entrada para quem pretende empreender, mas reconhece que precisa de ajuda para estruturar a empresa e não quer correr tantos riscos. Uma das vantagens do negócio é justamente a segurança: o franqueado é treinado e recebe suporte.

De acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o País encerrou 2011 com 336 marcas de microfranquias e 12.561 unidades em operação. O segmento representa 17% do total de operações e 4% do faturamento do setor, o que equivale a R$ 3,7 bilhões.

Para a vice-presidente da ABF, Maria Cristina Franco, a microfranquia, cujo investimento inicial é de até R$ 50 mil, surgiu por conta da demanda de aspirantes a empreendedores com pouco dinheiro disponível para investir. "A microfranquia já existe há muito tempo, mas o movimento de novas marcas se intensificou tanto nos últimos dois anos que a ABF precisou criar uma diretoria apenas para atender a esse segmento", diz Maria Cristina.

Essa opção mais barata de investimento foi a resposta encontrada por Leandro de Lima Peres Costa, 24 anos. Ele acabou de formar-se no curso de administração de empresas e desde a faculdade, quando era estagiário, não concordava com as exigências e a remuneração dos trabalhos considerados convencionais. "A remuneração não era condizente com o exigido", analisa Peres Costa.

Os estudos para passar em concurso público fizeram parte dos planos, mas acabaram sendo deixados de lado. A alternativa de empreender passou a ser prioridade e ele optou pela AcquaZero. Costa investiu cerca de R$ 50 mil, incluindo os custos da franquia, e passou a ser dono de uma empresa que presta serviço de lavagem de carro.

Para abrir o negócio, ele contou com a ajuda da família. Peres Costa tinha guardado parte do dinheiro, mas a ajuda definitiva veio mesmo de um empréstimo feito por sua mãe.

Antes de escolher um negócio, estabeleça objetivos

Planejamento

Pense primeiro em como você ganhará dinheiro. Em seguida, avalie as etapas necessárias

para abrir o negócio, Planejar é fundamental para o interessado evitar o fracasso da iniciativa.

Conhecimento

É importante aprender sobre o ramo com o qual se deseja trabalhar. É preciso ter muita afinidade com o segmento pois a dedicação deve ser total do empresário.

Escolha

A franquia tem menos riscos, é um modelo testado. Mas por outro lado, quem optar em abrir a própria empresa terá liberdade para administrar e fazer mudanças.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.