Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Microsoft anuncia queda de 11% no lucro e 5 mil demissões

Companhia tem lucro líquido de US$ 4,17 bilhões no 2º trimestre fiscal; demissões serão em 18 meses

Ana Conceição, da Agência Estado,

22 de janeiro de 2009 | 12h41

A Microsoft Corp anunciou queda de 11% no lucro líquido do segundo trimestre fiscal, para US$ 4,17 bilhões, ante o mesmo período do ano anterior. O segundo trimestre foi encerrado em 31 de dezembro. A receita atingiu US$ 16,63 bilhões, aumento de 2% ante o segundo trimestre fiscal anterior. A empresa também anunciou corte de até cinco mil vagas nos próximos 18 meses, sendo 1,4 mil nesta quinta-feira.   Veja também: Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise    O lucro operacional foi de US$ 5,94 bilhões, queda de 8% ante o mesmo intervalo do ano anterior e o lucro por ação ficou em US$ 0,47, queda de 6% no período. "Não estamos imunes aos efeitos da economia, mas estou confiante na força de nossa carteira de produtos e em nossa solidez", disse Steve Ballmer, executivo-chefe da Microsoft.   As cinco mil demissões anunciadas vão atingir setores como pesquisa e desenvolvimento, vendas, finanças, jurídico, recursos humanos e tecnologia da informação. As demissões e outras iniciativas de cortes de custos deverão reduzir as despesas operacionais da empresa a uma taxa de aproximadamente US$ 1,5 bilhão. Os investimentos para o ano fiscal serão reduzidos em US$ 700 milhões.   A Microsoft informou que por causa das incertezas do mercado não vai oferecer estimativas para a receita e o lucro por ação para o atual ano fiscal. A empresa também estimou que, diante da deterioração das condições do mercado, lucro e receita serão menores no segundo semestre fiscal. "Estamos levando em consideração que as incertezas econômicas continuarão pelo resto do ano fiscal, o que levará, quase certamente, a lucro e receita menores no segundo semestre na comparação com o ano anterior", afirmou Chris Liddel, diretor financeiro da companhia.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise FinanceiraEmpresasMicrosoft

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.