Microsoft investe em conteúdo para televisão

Empresa quer trazer programas e séries para o Xbox, reposicionando seu aparelho de jogos como central de entretenimento para a sala de estar

JANET I. TU , THE SEATTLE TIMES, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2014 | 02h09

Não faz tanto tempo que emissoras de TV aberta e redes de TV a cabo eram as únicas empresas interessadas na produção de uma programação original. Agora é cada vez maior o número de empresas de tecnologia que desejam participar deste ramo, de Netflix e Amazon.com até Microsoft, Sony e, supostamente, Yahoo.

Os esforços da Microsoft vão acelerar em junho com o lançamento do primeiro de sua nova leva de programas originais aprovada por Nancy Tellem. Ex-funcionária da CBS, ela foi contratada há dois anos para liderar a iniciativa de criar mais conteúdo original para a plataforma Xbox. Em junho, a Microsoft vai oferecer a transmissão ao vivo do festival de música Bonnaroo, no Tennessee.

Também deve estrear em algum momento do ano uma série de documentários com foco na tecnologia, produzida por Simon Chinn e Jonathan Chinn, da empresa de mídia multiplataforma Lightbox. Essas são duas das seis séries completas que o Xbox Entertainment Studios, sob o comando de Nancy, comprometeu-se a produzir. As outras incluem um seriado de TV inspirado na franquia Halo, com Steven Spielberg na produção executiva, e Humans, seriado dramático situado num mundo paralelo no qual as famílias possuem servos robôs, parceria com a emissora Channel 4, da Grã-Bretanha. A Microsoft tem também três outros seriados em fase inicial de produção.

Tudo isso faz parte da proposta da Microsoft para criar mais conteúdo original conforme os consumidores se voltam para os serviços da nuvem e os dispositivos móveis, bem como os aparelhos ligados ao televisor, para assistir aos programas.

A Microsoft busca diferenciar seus programas ao se concentrar no potencial interativo da plataforma Xbox e dos dispositivos móveis da empresa. "Estamos explorando todas as formas de conteúdo, concentrados em como torná-las mais envolventes e acessíveis por meio de diferentes dispositivos", disse a empresa.

Sala de estar. Faz tempo que a Microsoft busca reposicionar o console Xbox como um aparelho de apelo que vai além dos adeptos dos jogos eletrônicos, servindo como central de entretenimento para a sala de estar.

Atualmente, o objetivo é promover o serviço Xbox Live e a plataforma Xbox como central de entretenimento acessível por meio de dispositivos móveis. Mas a batalha pela sala de estar - e pela atenção do público que busca entretenimento - está esquentando.

Netflix e Amazon já estão produzindo seu próprio conteúdo original, com House of Cards e Orange is the New Black, da Netflix, atraindo bastante espectadores. Na semana passada, a Amazon lançou seu próprio aparelho para conexão com a TV. / TRADUÇÃO DE AUGUSTO CALIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.