Microsoft lança agência bancária 'do futuro'

A Microsoft, em parceria com a consultoria Accenture e a Avanade, anunciaram, ontem, um banco inteligente que, dentre outras funcionalidades, permitirá o reconhecimento facial de clientes nas agências. A solução já foi apresentada em Tóquio, Londres, Paris e Nova York.

Aline Bronzati, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2014 | 02h05

Segundo Eduardo Salvio, gerente sênior de vendas da Microsoft Brasil, a empresa já está em negociação com grandes bancos e a expectativa é de que negócios sejam anunciados nos próximos três meses. O caminho natural, diz Salvio, é a adoção de soluções parciais. O BTG Pactual, por exemplo, já contata seus clientes por meio da rede social Skype, da Microsoft.

"O grande desafio é expandir as soluções para os bancos de varejo. Acreditamos na massificação (do banco inteligente)", afirmou o executivo. "Sem massificar, os bancos não vão conseguir ser competitivos. As classes C e D querem ser tratadas iguais à A e B."

Os oito maiores bancos do Brasil - entre eles, Itaú Unibanco, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa e Santander - conheceram ontem à tarde as soluções desenvolvidas em conjunto pela Microsoft, Accenture e Avanade. Os serviços estão disponíveis tanto para pessoas físicas quanto jurídicas.

O novo banco inteligente traz duas mudanças principais em relação ao atual atendimento feito nas agências bancárias. Além do reconhecimento facial, o novo banco tem soluções que ajudam a definir o perfil do cliente e, consequentemente, destinar produtos sob medida para o público.

A agência bancária do futuro promete facilitar também a vida dos funcionários dos bancos. Eles poderão usar um mecanismo desenvolvido pela Microsoft para localizar especialistas dentro do próprio banco, além de permitir o contato com clientes por meio de redes sociais. Além disso, os funcionários poderão usar aplicativos que ajudem na organização do dia a dia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.