Microsoft retoma a batalha pelo Yahoo e pode fazer nova oferta

Empresa tenta impedir o Google de fechar com o Yahoo acordo sobre mecanismos de busca, aponta jornal

HÉLIO BARBOZA, Agencia Estado

19 de maio de 2008 | 08h38

A Microsoft anunciou ter retomado seu esforço para se juntar ao Yahoo e reabriu a possibilidade de fazer uma nova oferta pela empresa de internet. Segundo disseram fontes próximas ao The Wall Street Journal, a Microsoft propôs um acordo relacionado aos anúncios que acompanham os resultados das buscas na internet, um grande negócio que é dominado pelo Google.A movimentação da Microsoft parece ser uma tentativa de impedir o Google de fechar com o Yahoo um acordo sobre os mecanismos de busca, que está em discussão e poderia ser anunciado nos próximos dias. Num comunicado, a Microsoft disse apenas, sem dar mais detalhes, que levantou com o Yahoo a possibilidade de uma "transação" que não é uma compra de toda a empresa.Contudo, a Microsoft também disse que "se reserva o direito de reconsiderar" a possibilidade de uma oferta pela companhia, dependendo das negociações com o Yahoo ou com seus acionistas ou ainda com outros interessados. O comunicado, embora vago, representa uma notável mudança na posição da Microsoft. Nos últimos dias, a gigante do software havia afirmado ao representantes do Yahoo que havia desistido de tentar comprar a empresa, de acordo com fontes próximas.O Yahoo, por sua vez, também emitiu um comunicado, dizendo ter "confirmado com a Microsoft que desta vez ela não está interessada em tentar a compra de todo o Yahoo", mas que continua aberta a buscar qualquer transação que atenda aos interesses dos acionistas da empresa de Internet. O conselho do Yahoo analisará as alternativas, "incluindo qualquer proposta da Microsoft", afirma o comunicado.CompetiçãoA manobra põe em destaque a pressão que a Microsoft vem sofrendo para encontrar novas opções que lhe permitam competir de modo mais efetivo com o Google nos anúncios online. Grandes empresas de mídia e de tecnologia tentam entrar neste negócio, com a expectativa de que nos próximos anos os principais anunciantes vão desviar para os anúncios online os gastos com a mídia tradicional, como os comerciais de TV.Em 3 de maio, a Microsoft retirou a oferta que havia feito para a compra do Yahoo, após três meses de tentativas de comprar toda a empresa, num acordo de cerca de US$ 50 bilhões. O fracasso da oferta irritou alguns acionistas do Yahoo.  Em 15 de maio, o investidor ativista bilionário Carl Icahn procurou trazer as duas companhias de volta à mesa de negociações e lançou um esforço para substituir o conselho de administração do Yahoo. Icahn comprou 10 milhões de ações do Yahoo e opções para a compra de mais 49 milhões. Numa carta ao conselho, Icahn disse acreditar que "a união da Microsoft com o Yahoo ainda é o caminho mais sensato para ambas as companhias". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
MicrosoftYahoo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.