Miguel Jorge: crise força Brasil a incentivar exportações

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, afirmou hoje que a crise internacional força o governo brasileiro a trabalhar mais para incentivar as exportações, o que dá mais importância à elaboração da política industrial. Ele disse que, mesmo já tendo havido uma queda nas exportações brasileiras para os Estados Unidos no ano passado, o comércio exterior brasileiro poderá sentir, daqui para a frente, o impacto de uma maior recessão americana. "Portanto, temos que nos preocupar muito em incentivar e fortalecer a capacidade de exportação das empresas brasileiras", disse, ao chegar ao Ministério da Fazenda para discutir com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e com o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, a política industrial que está sendo elaborada. Miguel Jorge disse também que a crise não mudou o cenário com que o governo já vinha trabalhando. "Não estamos fazendo mais ou menos desonerações, estamos trabalhando com um mesmo conceito desde dezembro", afirmou. Ele acrescentou que a política industrial não tem o objetivo de eliminar eventuais déficits na balança de pagamentos do País. "O Plano de Desenvolvimento Produtivo não tem este condão de trabalhar em cima de um fato como a balança de pagamentos. Ele terá efeito, mas não se planeja por causa da balança de pagamentos", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.