Milão fecha em queda de 0,93%e Madri sobe 0,07%

A Bolsa de Milão fechou em queda de 0,93%. As ações italianas foram pressionadas pela realização de lucro que se seguiu ao corte das taxas de juro nos EUA. "O corte de juro nos EUA já estava descontado e era previsível que todos fossem realizar lucro hoje", disse um trader baseado em Milão. Apesar do fechamento negativo, o sentimento em relação às blue chips Telecom Italia e Telecom Italia Mobile melhoraram. A Goldman Sachs, por exemplo, elevou o rating da Telecom Italia. As ações da empresa fecharam em queda de 0,2%, enquanto que as da Telecom Italia Mobile recuaram 0,4%. As ações da Seat PG - outro membro do grupo TI - fecharam em queda de 2,9%, pressionadas pela realização de lucros, depois da alta de 4,2% na sessão anterior. Em Madri, a bolsa fechou em leve alta de 0,07%. Os ganhos das blues chips do setor bancário e de energia ajudaram a equilibrar as perdas do grupo tecnologia, mídia e telecomunicação. As ações da Terra-Lycos foram as que mais caíram, fechando com perda de 9,5%, pressionadas pelas notícias de renúncia do seu executivo-chefe, Bob Davis. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.