Milhares de pessoas protestam na Espanha contra medidas de ajuste

País europeu atravessa grave crise econômica, com taxa de desemprego de 24,4%, que atinge um a cada quatro trabalhadores

Efe,

29 de abril de 2012 | 12h06

Manifestantes protestam em Madri. Foto: Daniel Ochoa de Olza/AP

MADRI - Milhares de pessoas se manifestaram neste domingo em várias cidades da Espanha para protestar contra o governo, que anunciou medidas de ajuste para economizar 10 bilhões de euros nos setores de saúde e educação para cumprir as metas de déficit.

Em Madri, as organizações sociais que convocaram a manifestação exigiram "outras maneiras para sair da crise". A Espanha atravessa uma grave crise econômica, com uma taxa de desemprego de 24,44%, que atinge um a cada quatro trabalhadores do país.

O governo de Mariano Rajoy, do Partido Popular (PP), aprovou um austero orçamento para 2012, que prevê um déficit público de 5,3% do PIB, com a intenção de reduzi-lo em 2013 para 3%, como exige o pacto fiscal da União Europeia (UE).

O secretário-geral de Comissões Operárias (CCOO), Ignacio Fernández Toxo, classificou de "missão impossível" o objetivo de déficit estabelecido pelo Governo para 2013 e disse que as medidas irão prejudicar questões sociais.

O líder da coalizão Esquerda Unida (IU), Cayo Lara, que participou do protesto em Madri, disse que o PP roubou o direito constitucional à saúde e à educação e transformou os serviços sociais num negócio.

O chefe de governo, Mariano Rajoy, assegurou que as reformas são imprescindíveis para "reescrever a história" da prosperidade do país.  

Tudo o que sabemos sobre:
Espanhacrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.